Além do paraíso

Desapareço dessa atmosfera, crio um mundo designado para as pobres almas que vivem uma vida mediana, diante de tanta impunidade, de tanta crueldade, um mundo incrédulo de esperança.

Desapareço, pois creio que a falta é a simbologia do tributo aos que tentam proporcionar algo que atinga os mais miseráveis. Céu negro me diz que hoje não é um belo dia para presenciar flores coloridas e amores correspondidos, hoje é um dia de lagrimejar as almas perdidas, almas desiludidas.

Coração negro, pulmão infectado com a fumaça da cidade de pedra, dos sabores alterados dessa nicotina destruidora. O paraíso não é aqui, aqui apenas vivemos e provamos a cada dia nossa capacidade de vencer obstáculos e lutar contra os parasitas que dominam nossa humanidade, corpos e almas jogados em um espaço entre prédios e almas infeccionadas pela ganância, preconceito e pelo simples prazer de lutar por mais um dia.

Além do paraíso, vivemos para provar que podemos mudar, diante de qualquer circunstancia, e provamos a cada segundo que a esperança sempre é presente quando mudamos e transmitimos nossa mudança para o bem desse mundo perdido.

O paraíso é aqui? Não sei, pois aqui sofremos mudanças diárias e essas mudanças sempre nos direcionam para lugares que podemos chamar de paraíso ou pesadelo.

Um dia no paraíso irei lembrar-me de todos esses momentos que tive a leve impressão de que estive em lugar chamado paraíso.

SALSICHA – PAULO NUNES ou SAM33

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s